segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Post nº 14 - David Guimarães escreve para a Tabanca

DIA 13
MANGA DE RONCO NA TABANCA DOS MELROS
Ontem, enfim - visita anunciada que eu tinha à Tabanca, que coisa - o chefe vinha lá e eu tinha que ir cumprimentá-lo... Desta feita fui para cumprir a rigor todos os passos que em uso há nas tabancas, chegar, conversar um pouco sentar e comer... ora como se diz por ai na informática caseira "LOL"... Tinham-me dito - olha que vai haver fado ... não sei bem como... mas pronto..
Camões disse "Numa mão a espada e n'outra a pena" - eu na guerra usava numa mão a espingarda e noutra uma granada defensiva se bem calhando. No aquartelamento era numa mão o cigarro e n'outra a viola... enfim... a espingarda contudo nunca andava muito longe mim...
MAS ONTEM SÁBADO - então meti no meu carro duas violas e um cavaquinho e parti rumo à Tabanca dos Melros, o outro "tabanqueiro" (Martins, o velho, o Quim) também tinha metido no carro dele duas guitarras...

Os belos e melodiosos instrumentos a que David se refere
O David à direita, o Martins "velho" ao centro e o Carmelita é o outro...
Antes de sentar e comer, comeram-se em pé...
...As tais entradas de luxo
VERIFIQUEI: a armadilha estava preparada... Uma família, tio, pai e filho e eu mais um douto cantor do fado de Coimbra eram a base... depois das apresentações logo fomos lubrificar (afinar) as nossas armas, guitarras e violas e fazer um leve ensaio, para a coisa não ficar feia...
O repasto teve umas entradas de luxo e logo nos sentamos a ouvir o grande e oportuno discurso do Chefe de Tabanca que tem queda para a oratória aliás muito comum de quem é Advogado... Depois desse discurso emocionado lá veio almoço que estava porreirinho... NÃO FOI PRECISO IR A AMOSTRA AO CHEFE, estava aprovado e o voto parece que foi unânime: tudo comeu bem... e pronto vamos para o ronco...
Duas cadeiras, Quim Martins à Guitarra e eu à viola e lá vai fado. Carlos Silva nas apresentações
O Armando Martins então usou de pose, uma melodiosa voz nas suas interpretações "fadísticas" maravilhosas... no inicio de cada fado eu sempre dizia algo ao Quim Martins - era assim: - tom? Sol dizia ela ( a guitarra) - e pronto bota para a frente....
Mas o Armando não veio só, afinal os combatentes tem filhos que são uma maravilha - é que o filho dele, sim senhor, para além de nos vir aturar a todos cantou o fado lindamente, tão bem que eu me vi "arrasca" para acompanhar ... mas foi bem...
E as máquinas de fotografar do Carmelita e do Jorge Teixeira não paravam de "bater chapa" (bom sentido), melhor tirar fotografia e mais outras máquinas que andaram para lá...Depois então entrou-se no fado de Coimbra onde o Zé Castro cantou e bem o que lhe apeteceu cantar...
Um combatente está pronto para tudo - foi ronco, porque todos gostaram... e foi mesmo MANGA DE RONCO.
Gil, o rancho aprovou... continua a não marcar o meu lugar mas conta comigo....
E a TODOS OS TABANQUEIROS MELROS, obrigado pela recepção que fizeram - outra coisa não seria de esperar - e os Tabanqueiros mistos, como eu - maravilhosos estiveram a comer especialmente... Vamos descortinar agora onde andarão mais Tabancas por aqui perto dignas de visita - somos sempre assíduos cumprindo um velho ditado de juramento militar...
JURO E JURAREI QUE AO RANCHO E AO PRÉ NUNCA FALTAREI....
E cá vamos vivendo -
PARABÉNS CARLOS SILVA, TENS UMA TABANCA MUITO LINDA...
Um abraço
David Guimarães













4 comentários:

  1. Por "obrigação" de serviço, a postagem tem se ser colocada por mim, para que o arranjo gráfico não destoe. Mas se destoar, para o caso não interessa nada.
    Interessa isso sim, a camaradagem e o "poema" da escrita do David Guimarães, que nas horas difíceis está presente com as suas companheiras, que mesmo viajando na mala do carro, nunca o deixam ficar mal, para nosso deleite.
    Um abraço apertado para o David

    ResponderEliminar
  2. Esqueci de referir que as fotos são do Carmelita. Oram digam lá se as coisas não se complementam...
    As Tabancas têm mais encanto, quando Carmelita fotografa.
    Um abraço para ti Manel

    ResponderEliminar
  3. Amigos

    Acabo de chegar a casa neste dia invernoso, chuva e frio de rachar.
    Desde que saí de Gondomar, de vez em quando dava uma espreitadela ao termómetro e a temperatura exterior ao londo da viagem oscilou entre 1,5º e os 7º. De passagem pela minha casa rural de Alcaria, no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, o termómetro marcava 1,5º.
    Apesar de ter lá bastante lenha para fazer uma fogueirada e aconchegar-nos ao calor próximo da lareira, pensei para os meus botões, não, não fico cá e toca a abrir até Massamá. Aqui também tenho recuperador e também podemos estar aconchegados ao calor do mesmo, no entanto, a minha cara metade foi dizendo, pois é, o vício do computador é muito forte... De facto é. E, cá estou eu a trabalhar com dois computadores em simultâneo.
    Vai daí, toca a pôr a correr e a despachar quase 300 mails. Rebentam a minha caixa decorreio electrónico.
    Na abertura faço de imediato uma pré selecção, visualizando os que estão relacionados com o meu Site e com os nossos Blogues.
    Deste modo, deparo-me com as fotos remetidas pelo fotógrafo de serviço, o nosso amigo Carmelita e com as do Jorge.
    Segue a leitura do Post lançado em que o nosso camrada David Guimarães tece rasgados elogios não só a todos os camaradas, mas em especial à minha pessoa.
    Ora, eu quero dizer ao David que eu não sou o Chefe da Tabanca. Esta é de todos nós, é mais um lugar acolhedor onde a rapaziada se reúne, tal como na Tabanca de Matosinhos e noutras, donde resulta de forma inequivoca a nossa camaradagem, sem ter em consideração o lugar onde estivemos ou a Unidade Orgânica a que pertencemos.
    Quanto à "prata da casa" eu diria, parafraseando o nosso amigo que estava ao meu lado António Pimentel, não foi "prata" mas "ouro da casa", na medida em que, estávamos em terra de ourives, na Cidade da Ourivesaria....
    E se ficaram contentes, tal como eu fiquei, na próxima, em vez de "ouro lei, toque de 800" então passaremos todos para "ouro fino, toque 1000" porque todos nós estamos a fazer uma força para que isso aconteça.
    Já agora informo que ontem à tarde a tiritar de frio andei à procura para os lados da Estrada de D Miguel de mais fadistas e guitarristas, meus amigos de infância e da Escola Comercial e parece-me que bati na muge, pois ficaram-me de dar o contacto de 2 deles.
    Sendo assim, temos de fazer uma fusão de Tabancas e criar o "Grupo de Cantares dos Tabanqueiros" e mais, acabei por encontar um primo do meu cunhado, que para além de um excelente tocador de viola, tem um estúdio de gravação onde estive e onde se canta o fado.
    Deste modo, o "Grupo de Tabanqueiros", poderá ali reunir-se e gravar um cd ao vivo.
    Assim, fadistas, guitarristas, "violistas" ou instrumentalistas, pensem nisso.
    Toca a formar .... Tabanca Grande, do Centro, Matosinhos, dos Melros e outras e pensem no projecto...
    A bola está do vosso lado.
    É gozar enquanto vamos acordadndo com os pés a mexer, como se dizia na Guiné e deixem cá ficar a vossa marca, como testemunho da vossa passagem por este Planeta.
    Um abraço amigo
    Carlos Silva

    ResponderEliminar