domingo, 15 de julho de 2012

79 - Os Melros à sombrinha

Este simples repórter foi recebido com sapateado porque faltou a ata da reunião do mês passado. Já o Presidente Carlos Silva havia chamado a atenção para o fato (fato de facto e não fato de vestir homem. Para nos explicarmos corretamente temos agora de escrever os significados). Coisas Lusófonas, que não tem nada a ver com a Lusófona Universidade.
Ao publicar o artigo de hoje, dei-me conta que tinha escrito a tal reportagem. Só que não foi publicada. Isto é. Ficou em stand by por qualquer razão. Talvez porque nos entretantos o meu pc pifou. (Pifou, de gripar não Pifou de Pífaro). 
Para os interessados Melros que nos acompanham e não só, a dita reportagem já está no ar. Isto é, foi publicada. Portanto é passar pelo blogue e espreitar. Até tem vídeo.

Então passemos aos trabalhos de ontem.
Como o dia estava sereno e como sempre, previsto com condições para aumentar a temperatura, o Gil colocou-nos à sombrinha.

Primeiro, debaixo de uma das ramadas para os entretantos que como habitualmente foram os sempre apaladados salgadinhos sortidos, presunto, salpicão, polvo, morcela, etc e tal, dando início à ordem dos trabalhos.

O Presidente do Bando apresentou-se também, com armas e bagagem para participar em todos os trabalhos da reunião.



A reunião pròpriamente dita passou então para o alpendre e começou com a apresentação pelo Presidente da Mesa, de uma oferta para o Museu vinda do Fernando Súcio. Nada mais nada menos que uma Reserva Duriense de 1970. Ficou muito linda ao lado da do Vinho Fino, ofertada logo na primeira reunião da nossa vida pelo Zé Manel Vinhateiro. Diz o Presidente que espera mais ofertas destas. E não só.

Passou-se então para a ordem do dia, que teve Arroz de Pato, Bacalhau à Gomes de Sá e Lombo de Porco assado.
Aspectos gerais e revendo o Xico Allen de quem já tínhamos saudades.


À Porta d'Armas, o velho sentinela guardou a terceira perna do Vilela António.

A malta distraída, nem repara nas uvas que já estão meio cheiinhas. A pinta não deve tardar.
Conversa vai e vem e o pessoal começa a ficar farto de estar sentado.

Mas dão entrada na parada os finalmentes, o que quer dizer que Tocou a Levantar.
Lá mais para o fim da ordem dos trabalhos, de novo recolhidos à sala de reuniões, o molha-palavra começou a esgotar.
Para que conste do Livro de Atas, uma imagem que vale por mil palavras. Pena o Vilela estar cheiiiinho de dores e quási estragava a foto.
Para completar e com a devida antecedência, informa-se por esta única via, que a confraternização de Setembro será no dia 29, em Valbom, na sede do Rancho Folclórico. Como já vem sendo habitual, esta reunião é a especial do ano, depois da de Medas, Jovim e S. Cosme.
Mas em Agosto haverá mais pormenores.
Até lá, um abraço camarada.


78 - A 9 do Mês de Junho

Já a pensar no jogo da noite, ao meio dia a rapaziada começou a marcar presença para mais um encontro mensal.
 Foi com a alegria que voltamos a ver o Vilela +Velho, agora com + uma perna, + parafusos, mas isso são coisas que fazem parte da vida dos alpinistas.

E os Melros foram poisando.

Estava tudo à espera da Sardinhada, mas a coisa gorou-se. Paciência. Fica para Julho.

Toda esta atenção é para o Carlos Silva, dando as boas vindas aos novos Melros e apresentando as últimas ofertas para o Museu.

Fomos recebidos na Sala Nobre, porque o mau tempo não permitiu ainda a amesentação ao ar livre. No telheiro só os aperitivos. 
Para que conste, a ementa principal foi de Lombo e Cabritinho.

 Por uma vez, conseguiu-se quási a totalidade da rapaziada para a Foto de Família.

Alguns felizes contemplados na "reponta"


video
Porque foi dia de aniversário, um desafinado coral lá entoou o Hino da ordem.
O vídeo é uma obra prima de Autor.