segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

108 - Começamos bem o ano 2014

11.Jan.2014
O dia nasceu sereno, o vento mal bolia, no Choupal uma calma fresca esperava os Melros em Bando para mais uma festa de amizade, camaradagem e um apreciar de bons petiscos.  
Vale a pena voltear o olhar pela Quinta, apreciar o que a invernia nos dá, antes que os Melros poisem em Bando com o seu chilrear de saudade. 
Ei-los que vão chegando com as suas bicadas alegres contra a ciática, o ácido úrico e afins. As Festas gulosas deixam a barriga cheia mas também algumas lembranças.
Junto dos velhos Choupos agora despidos, pequenos Bandos vão matando as saudades.
É a hora de ir dar um abraço à rapaziada que trata tão bem a Velha-Jovem-Guarda.
De regresso aos Bandos, nada como o aconchego de uma loirinha para esquentar.
Chegam de mansinho, carregados de novidades. Lá iremos.
Os Pequenos Bandos vão-se juntando
 As loirinhas aquecem a alma (do Portojo e do David, pois claro) e a companhia aumenta.
Matando o tempo, que é como quem diz, olha a hora...
 E é a Hora, de sentirmos todo o bem que há na mesa...
 Dizer, também tenho direito...
 De saborear o que os olhos vêm....
 É como um sol quente em tempos de invernia...
 E só eles devem saber...porque estão na acalmia...
Mas é a Hora de regressar...
... à grande mesa para recomeçar...
Mas 'pera aí Carvalho. Só eu e o Bateira, só nós dois é que sabemos...
E colocar a menina à guarda Bandalha, longe de perigos mais que eminentes.
Melros acalmaram e aguardam serenos a voz de comando

 As entradas parecem que colocaram o pessoal triste... mas as viandas vêm já...
Pois então, viole-se a menina, diz o Bateira e vamos a ela alegremente pois já deve ter pelo menos uns cinco aninhos de casco. O olhar guloso do Casimiro e os três copos do Portojo não deixam dúvidas que "é p'ra acabar hoje".
Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe. Mas o nosso acabar foi só por hoje (sábado).
 Fiteirices de fim de Festa
 Xauzes Jorge. Inté.
Aninhada nos ramos do velho choupo, uma rola vem-nos dar o Adeus, até ao meu regresso.
 Custa a destroçar, mas tem de ser.
 Chegamos com o Sol Baixo mas a Lua que já vais tão alta, marcas a hora do regresso...
Mas o que tem de ser tem muita força e lá vai mais uma acabar.
The End
Passemos aos momentos sérios e às informações que devem ser devidamente registadas.
Pela voz do Coelho ficamos a saber o que é o Movimento Cívico de Antigos Combatentes. E também a proposta apresentada na Assembleia da República. Os interessados em associarem-se ao Movimento poderão consultar https://www.facebook.com/Antigos.Combatentes?fref=ts
O Barbosa falou e está falado que os Bandalhos do Bando do Café Progresso, tinham uma comunicação importante.
O Presidente Bandalho atirou para o lado que estas coisas de comunicações não são com ele. Coube ao Secretário técnico - eu, pois claro - O Momento solene: A apresentação e convite do programa Bandalho "Visita ao Museu do Dragão" a todos que nos queiram acompanhar. Realização e Programa: Dia 23, Quinta-feira. Dia com Sol, temperatura amena de 10M-2m graus. Encontro na Estação de S. Bento às 11 horas. Almoço No Olho, dia de Tripas às 12.30H em Ponto. Segue-se viagem de Metro até ao Dragão. Inscrições obrigatórias porque senão no Olho estamos sujeitos a não caber. Preço da visita ao Museu para a Pesta Grisalha a partir dos 64: 10 €. Menores de 64: 12 €

Inscrições no Bando do Café Progresso, Presidente Teixeira Jteix, Portojo, e nos locais habituais.
Consultar: https://www.facebook.com/groups/738520779507835/
Finalizando
O novo mascote dos Melros, um gatão lindo preto de pêlo sedoso (parece que tinha acabado de sair do banho) e que, como o Carvalho GNR-Ranger descobriu, anda muito magrinho. É o mês dele, segundo a tradição felina, com muitas viagens pelos telhados, mas não atrás de pássaros, mas de pássaras da mesma raça.  Por isso deu-lhe a provar um dos petiscos com que fomos presenteados: Carapaus  fritos como il faut. Lambeu os bigodes e pediu mais.  
Mais um presente do Gil, deliciosas ameijoas, das nossas e não vietnamitas. Sublimes.
O prato de fundo, uma rojoada com todos e todas as coisas que uns Rojões devem ter. Não faltou, pois claro, a Bianda. Para uns, simples de forno, para outros, transformada em delicioso sarrabulho. Para os amigos e amigas que nos visitam Bianda é Arroz, em língua crioula da Guiné.
E este pratinho bem recheado foi para...
Para completar. Pessoalmente devo agradecer aos camaradas por não gostarem de rapar os restos. Aproveitei-os e que bem souberam, a última fatia de pudim, as duas colheres de leite-creme (a parte torrada já tinha ido no Batalha), o bolo que ficou pegado ao prato e um doce de claras com chocolate, idem.
A menina ainda estava intacta. Mas foi a seguir que tratamos dela. Ver fotos mais acima.
Finalmente, descobrimos a longevidade do Presidente (como Presidente) do Bando.
E prontos, tá tudo.E já não era sem tempo.