domingo, 2 de março de 2014

111 - Homenagem aos Mortos da Guerra do Ultramar

Respeitando a tradição, comemoramos ontem o Dia do Combatente do Ultramar em Gondomar, relembrando os nossos camaradas que em África deixaram a sua vida.
O dia de autêntica invernia não desmobilizou os cerca de 100 camaradas, que disseram presente.
Na Igreja de Fânzeres realizou-se Missa em sua Memória
 
Junto à estátua, no Largo do Soldado, seguiram-se as homenagens.
 Presentes os Presidentes da Câmara de Gondomar e das Freguesias de S. Pedro da Cova/Fânzeres.
Igualmente presente o Senhor Tenente-Coronel Fernandes, representando a Liga dos Combatentes.
Uma secção militar prestou a sua homenagem aos camaradas mortos em África, com apresentação d'armas e toque de Silêncio. Momentos especialmente sentidos.
Pelas 13 h seguimos para o nosso Ninho, no Choupal dos Melros do camarada Gil, que teve de dar corda aos sapatos para chegar à nossa frente à Tabanca.
Para juntar os dois eventos - Homenagem e Reunião mensal dos Melros - alteramos o dia. Portanto, caros camaradas despistados, a próxima reunião é só a 12 de Abril.
Fomos partilhando conversas, como é habitual.
É sempre agradável olhar as peças que vão fazendo parte do espólio para o futuro Museu, e que o Gil vem guardando religiosamente, mas expondo-as todas os Meses. E a ajuda que o Paulo dá é muitíssimo importante.
Duas peças e quatro novos quadros dos "Comandos".

Quando homens, ex-militares, se juntam é um bla-bla-bla, igualzinho ao das mulheres.
Uns certos artilheiros Bandalhos foram registados pelo nosso querido Trasmontano Súcio, sempre presente.
Porque ontem em Gondomar - como no Grande Porto - correram grandes exercícios de protecção civil, foi-nos pedido um pouco de espera para o servir do almoço.

Nada de grave se passou, mas iríamos ter a companhia de alguns autarcas. Que estavam nos exercícios.
Cerca das 14 horas as mesas dos Apelativos-Aperitivos começaram a ser preparadas.
O ataque foi fulminante e já está, não custou nada.
 Calmamente regressamos ao ponto de encontro...
preparando novos ataques...
Alguns elementos da Comissão de Honra e autarcas juntos no primeiro ataque.


Como é da tradição nortenha-portuguesa, no entrudo marcha tudo. Quer dizer, comida da pesada, que depois é dieta jejuativa até à Pascoa. Salvo seja.
E como tal, entre escolher umas Tripas à Moda do Porto (uma especialidade da Casa) ou um Cozido, caiu a preferência neste. Para tristeza do repórter e deleite de um certo Presidente.
Mas há mais ataques a inimigos bem apetrechados, como o "eram" as Rabanadas aprisionadas aos nossos Chefes.
Inimigos para todos os gostos. Faltaram dois que escaparam a este cerco, mas não a outros. O Pudim de Ovos e o Bolo de Bolacha com creme.

O Zé Catió Ferreira, na boa companhia do Manuel Cibrão e do Jorge Peixoto
Pois dêem agora um palpite a quem calhou este pratinho.
Descanso dos Guerreiros enquanto se preparam para os Cafés e Bagaços.
Fazendo horas para mais um café no salão-Bar

O tempo continuo triste, sombrio e molhado.
Mas que fazer... é Inverno.
O Metro esperava alguns de nós para o regresso a outros ninhos.
Notas finais.
O grande Zé Catió acabou de completar 71 anos. Desejamos-lhe Boa e Longa Vida, connosco e não só.
Lembrámo-nos da Doutora Fernanda, anterior Presidente da Junta de Freguesia de Fânzeres e grande impulsionadora deste nosso dia.
Lembrámo-nos também do Neca Quelhas. Raramente falhou um convívio, mas nos últimos dois não passou por cá. Que se passa Neca ? A malta tem saudades de ti, g'anda guerreiro. Manda notícias.
Um abraço desde cá de longe para o Carlos que deve andar pela Guiné a Fazer o Bem.

Prontos, por Hoje-Ontem é tudo. Adeus até ao meu regresso .