segunda-feira, 11 de agosto de 2014

116 - Os Melros nem à sombra nem ao sol

Numa desordem fotográfica, reproduzimos tal qual a passagem de mais uma dia mensal de uma rapaziada que só vive para estas coisas. Neste caso no Choupal dos Melros conforme manda a tradição. Foi a 9.08.2014.
E tinha de começar o dia-tarde-mensal em grande estilo. Tipo apresentação.
Prossigamos
 
 
 
  
O princípio do fim sempre recebidos com agrado. De destacar as favas e as moelas. Um espectáculo.
    
 
 
Hora de manger a sério.
blablabla
 O Pato já era e o Bacalhau foi-se

O Súcio trouxe umas prendas fabricadas por uns primos estabelecidos lá para o sul.
Com tantos pedidos do produto, não sei se conseguiu registá-los. Negócios que se perdem...
Hora do relax e das conversetas
 
 
 
Há uns meninos que passam a vida em reuniões permanentes.
Vamos ver passar uns melros em passo de corrida
 
 Outros nem por isso
 
 Como eles marcham tão bem
 
 
 
 
 
 Mas que pressa, será que ías ver alguma coisa triste ó Barbosa ???
 
 O Peixoto saíu com ganas de ir acertar em alguém
 Mas que doudas...


 Tristes e desconsolados lá num canto. Não ligam a ninguém
 
 
 
 
 Áugas numa reunião são sempre bem vindas
Estes só voam em Bando
  
Sete da noite e são os últimos a abandonar o Ninho.
Mas nas calmas que a vida não se fez para correr